Melhores do Ano: os singles, álbuns, livros, séries, filmes e hypes de 2016

O ano de 2016 (finalmente) chegou ao fim e como é de praxes, há listas e mais listas de final de ano espalhadas por todos os blogs, sites e perfis; e como já foi feito em 2015 e 2014, está na hora de revelar os meus melhores do ano que passou. Para esta edição, fiz umas adições e escolhi os cinco melhores produtos de quatro dos principais grupos da arte + uma lista bônus: Cinema, Televisão, Música e Literatura + Hype.

Assim como aconteceu na edição passada, devido ao grande índice de lançamentos legais (e pra tornar meu trabalho menos difícil, rs) dividi alguns dos grupos em (sub-)categorias. Cinema fica dividido em Live-action e Animação; Televisão ganha quatro categorias, com TV:Comédia, TV:DramaStreaming e EspecialMúsica fica dividida entre Álbunscom as sub-categorias Mainstream e Non-Mainstream, e Singles, com as categorias Solo Masculino e Solo Feminino, tanto Mainstream quanto Non-Mainstream, e GruposLiteratura entram os livros que eu li durante o ano, não os que foram lançados e 2016 e eu li, capiche?: entra tudo o que eu li durante o ano; por fim, em Hype estou listando os cinco momentos mais esperados para 2017 de cada categoria, sem divisões, que tenha ganhado algum tipo de preview durante o ano de 2016.

Observações sobre as (sub-)categorias:

Para o Cinema, os filmes que foram avaliados são os que entraram no #vicsVaiAoCinema. A hashtag é o meu álbum do Facebook com as produções cinematográficas que eu assisti durante o ano no cinema, com um pedaço de opinião e algumas informações técnicas sobre cada título. Ao todo, foram 47 filmes assistidos na telona.

Na categoria Televisão, TV são as séries que foram produzidas, exibidas e distribuídas por empresas televisivas, seja aberta ou paga, como a ABC e a USA, por exemplo; as Comédias são aquelas séries de meia hora de duração (com comerciais), e os Dramas as de uma hora. Streaming, é claro, são as séries que foram produzidas e (inicialmente) exibidas pelas empresas de serviço de streaming, como a Netflix e o Hulu. Especial, neste caso, são os especiais televisivos, exibidos pela TV ou pelo Streaming.

Em Música, no caso de Álbuns, decidi que Mainstream seria guiado por uma regra: ter entrado no TOP10 da Billboard 200, o maior chart musical do mundo. Portanto, os Off seriam os que teriam ficado fora dele, podendo, até mesmo, nem te entrado na parada norte-americana. Para Música, a ideia é a mesma, porém invés da Billboard 200, é a Billboard Hot 100.

Sendo isso, isso, vamos lá?

Obs.: Ao passar o cursor do mouse na foto, você pode ver informações do “candidato”. Ao clicar, você será levado à postagem correspondente (se houver), video no Youtube (para singles e trailers), álbum no Spotify e página no Skoob (livros). Tais links podem ser alterados durante o ano, na medida em que algo aparecer por aqui (e vai aparecer).


 

#MdA16 | MÚSICA | SINGLES

Solo Feminino (Non-Mainstream)


#1 | LEMONADE – Skylar Grey

A cantora norte-americana Skylar Grey já é uma velha conhecida do blog, e já até figurou o Melhores do Ano de 2015, quando levou o #1 nessa mesma categoria!

Ao trazer um pouco das habilidades de rapping da cantora, Lemonade é o quarto single do álbum Natural Causes. Composta pela própria, a faixa traz no time de produção Alex da Kid, com quem já trabalhou anteriormente, além de Eminem, Imagine Dragons e Rihanna.


#2 | SO GOOD – Louisa Johnson

Aos que nunca ouviram falar de Louisa, uma breve biografia: em 2015, aos 17 anos, a inglesa ganhou o 12º ano do The X Factor. Tendo como mentora a cantora Rita Ora, Louisa se tornou a ganhadora mais jovem da história do programa.

So Good é o seu debut single, após o buzz positivo ao participar de uma faixa da banda Clean Bandit. A música merece o segundo lugar simplesmente por ser um single bastante maduro e inesperado.

  

» MENÇÕES HONROSAS (em ordem alfabética)
AIN’T MY FAULT – Zara Larsson (+); F*** APOLOGIES. – JoJo ft. Wiz Khalifa (+); HURTS – Emeli Sandé (+); LIFTED – CL (+).

 

Solo Masculino (Non-Mainstream)


#1 | CLOSE – Nick Jonas ft. Tove Lo

A carreira solo de Nick Jonas é uma deliciosa surpresa pra todo mundo, e tem proporcionado incríveis sonoridades para nossos ouvidos. E este é um desses casos. Coincidente, sua parceira vocal para essa faixa, Tove Lo, está logo acima figurando o quarto lugar no Solo Feminino.

Close é uma das músicas mais sensuais do ano, com um dos clipes mais legais de 2016. Apesar de não ter entrado no Top 10 da Billboard Hot 100, por aqui ela definitivamente é #1.


#2 | wHo – Zayn

Igual aconteceu com Nick Jonas, a carreira solo de Zayn tem gerado deliciosos frutos. Com uma sonoridade bem diferente da sua com a One Direction, o cantor chamou bastante atenção durante o ano e merece muitos aplausos, principalmente como o Mind of Mine, seu debut album.

wHo, no entanto, não faz parte da tracklist do compilado, mas sim da soundtrack do reboot d’Os Caça-Fantasmas, Caça-Fantasmas, como um dos singles promocionais.

   

 

Grupo (Non-Mainstream)


#1 | TEARS – Clean Bandit ft. Louisa Johnson

Clean Bandit é uma banda britânica, em atividade desde 2008. Misturando elementos da música clássica (como violino e violoncelo) com o eletrônico, o grupo tem dois singles #1 na parada musical inglesa, a UK Single Charts, além de um Top 10 na Billboard Hot 100.

Tears é o carro-chefe do segundo álbum da banda, e conta com a participação de Louisa Johnson, como já mencionado lá em cima. Aqui, o clássico encontra o dance e o pop-sintético.


#2 | #WHEREISTHELOVE – Black Eyed Peas ft. The World

Where is the Love é uma das minhas músicas favoritas de todos os tempos, então imagine a surpresa quando o Black Eyed Peas anunciou um relançamento como charity single! Nada melhor para sair da pausa de seis anos.

#WHEREISTHELOVE ainda conta com a participação de cantores como Nicole Scherzinger, Mary J. Blige, Jayden Smith, Jamis Foxx e, claro, Justin Timberlake, que participou originalmente da música quando ela foi lançada em 2003.

  

 

Solo Feminino (Mainstream)


#1 | FORMATION – Beyoncé

Feminismo sempre tem sido marca registrada de Beyoncé. Por outro lado, sua negritude já é um branding mais recente, colocado em maior exposição com o BEYONCÉ.

Formation vem para reafirmar isso, trazendo uma faixa de apoio ao #BlackLivesMatter e contra a brutalidade da polícia. O single acabou gerando controvérsias, dando aos meros mortais memes afiados como “O dia em que o mundo descobriu que Beyoncé é negra“. Aqui, o #1 é merecido.


#2 | WORK – Rihanna ft. Drake

Rihanna é uma força imbatível. Seus trabalhos sempre geram algum grande hit, no singular ou plural. São 23 singles no Top 10 da Billboard Hot 100, sendo que 11 foram #1.

Work foi uma das faixas mais tocadas (e viciantes) do ano, e isso é indiscutível. O carro-chefe do ANTi, oitavo álbum da caribenha, acabou se tornando #1 na Billboard Hot 100, e é a faixa de uma artista solo feminina de melhor perfomance em 2016 nos EUA. Work work work work work.

 

Solo Masculino (Mainstream)


#1 | ONE DANCE – Drake ft. Wizkid & Kyla

O canadense Drake vem apresentando excelentes trabalhos como rapper. Seus quatro álbuns alcançaram o #1 na Billboard 200, além do topo nos charts R&B, Rap e o canadense.

One Dance segue o mesmo caminho, e garantiu ao rapper o seu primeiro topo na Hot 100. Como se não fosse o suficiente, a faixa ainda é a mais tocada no Spotify, com mais de um bilhão de streamings únicos! Não é uma surpresa que One Dance estaria aqui figurando, também, o #1.


#2 | TREAT YOU BETTER – Shawn Mendes

Um dos meus maiores achados durante 2016 foi Shawn Mendes. O também canadense de recém-feitos 18 anos roubou o coração de muita gente, e garantiu que seus dois álbuns fossem #1 na Billboard 200.

Treat You Better é o carro-chefe do Illuminate, e embora tenha chegado “apenas” até o #6 da Hot 100, aqui ele merecidamente fica entre os melhores. Grande talento, muitas coisas boas no futuro desse garoto. Música viciante.

» MENÇÕES HONROSAS (em ordem alfabética)
24K MAGIC – Bruno Mars (+); I TOOK A PILL IN IBIZA – Mike Posner (+); PILLLOWTALK – Zayn (+).

 

Grupo (Mainstream)


#1 | HEATHENS – Twenty One Pilots

Esquadrão Suicida foi um dos assuntos mais comentados do ano. Seja pela ansiedade, pela decepção, pela Margot Robbie como a Harley Quinn, ou o Coringa de Jared Leto. O filme dominou 2016. E junto à ele, Twenty One Pilots.

Heathens é uma das maiores músicas do ano. Não só ficou em #2 na Hot 100, mas também gerou ao duo três indicações ao Grammy. É se dúvidas a melhor música vinda da soundtrack do filme (que é incrível, diga-se de passagem).


#2 | DON’T WANNA KNOW – Maroon 5 ft. Kendrick Lamar

Maroon 5 já é um antigo conhecido de todo mundo. Cheio de grandes hits, a banda liderada por Adam Levine lançou em 2016 uma faixa com um dos clipes mais divertidos do ano.

Don’t Wanna Know tem a participação do rapper Kendrick Lamar e fala, basicamente, de um cara que ainda ama sua ex e está de coração partido. A baladinha-pop é deliciosamente boa e o clipe uma lindeza, e ainda conta com aparições da comediante Sarah Silverman e do ator Vince Vaughn.

 

#MdA16 | MÚSICA | ÁLBUNS

Mainstream


#1 | ILLUMINATE – Shawn Mendes

Ok. Confesso. Estou dando esse lugar pro Shawn Mendes praticamente de graça. Desculpa. Desculpa não me sentir culpado. Hashtag sem arrependimentos.

Illuminate não necessariamente é o melhor álbum do ano, mas pra mim é como se fosse. O álbum do canadense é gostoso de ouvir, melodioso, tem músicas muito belas, algumas grudam como chiclete. Treat You Better já levou um prêmio, e Illuminate vai levar esse também.


#2 | ANTI – Rihanna

Não haja surpreso. Como eu já disse anteriormente, Rihanna é uma força sem igual. Se Work levou um prêmio, porque o álbum não estaria aqui?

Anti teve um marketing bastante interessante, e ainda foi lançado todo em braile. O R&B misturado com o Pop gerou excelentes singles como Work, Needed Me e Love on the Brain. A era ainda ficou marcada por performances de encher os olhos de orgulho. Tudo muito bem feito e bem produzido!

» MENÇÃO HONROSA
MAD LOVE. – JoJo (+).

 

Non-Mainstream


#1 | NATURAL CAUSES – Skylar Grey

Definitivamente o meu #1 mais fácil. Skylar Grey é uma das minhas favoritas. “Afilhada musical” de Eminem, ela rapidamente conquistou o meu coração com o debut Don’t Look Down. E agora ela fez de novo.

Natural Causes é igualmente ótimo ao debut. Aqui, Grey aposta numa sonoridade leve, cujas músicas, de acordo com a própria, são feitas para as pessoas ouvirem enquanto estão viajando de carro, acampando, ou após um dia estressante.


#2 | LONG LIVE THE ANGELS – Emeli Sandé

Na mesma lista de favoritos que Skylar Grey está, Emeli Sandé também se encontra. A inglesa é simplesmente talentosa. Sua voz é como nenhuma outra, e é possível sentir cada palavra que ela entoa em suas músicas.

Long Live the Angels é o seu segundo álbum, e lá fora alcançou o #2 na UK Albuns e figurou na Billboard 200 em #41. É desse álbum que veio o single Hurts, que ganhou uma menção honrosa em Solo Feminino Non-Mainstream.

» MENÇÃO HONROSA
AIM – M.I.A. (+).

 

#MdA16 | LITERATURA

Mainstream


#1 | O CHAMADO DO CUCO – Robert Galbraith

Robert Galbraith é um excelente autor. Mas pudera, não é mesmo? Ele é J.K. Rowling! O pseudônimo da autora de Harry Potter é um escritor de livros de mistérios policiais, uma espécie de Sherlock Holmes nos dias atuais.

O Chamado do Cuco é o vol.1 da série Cormoran Strike, um detetive particular acima do peso e com uma prótese na perna, consequência de seu tempo na guerra. Na trama, ele é contratado para desvendar o suicídio de uma modelo.


#2 | WICKED – Gregory Maguire

Se você está ligado no mundo da música, Wicked já deve ter passado por você em algum momento. Aos que não sabem: é o musical da Broadway mais famosos do mundo, baseado nesse livro de mesmo nome.

Wicked explora o mundo de Oz antes de Dorothy, tendo como protagonista Elphaba, a Bruxa Má do Oeste. É uma reinterpretação d’O Maravilhoso Mágico de Oz, de L. Frank Baum, só que para adultos.

 

#MdA16 | TELEVISÃO

TV:Comédias


#1 | AMERICAN HOUSEWIFE – ABC (Parte I da 1ªT)

Esse ano, peguei poucas séries novas da Fall Season. Muitas delas não me interessaram, mas um belo dia resolvi assistir o piloto que eu tinha de American Housewife. E que decisão!

A série da CBS é deliciosamente engraçada, e certeira em explorar, através de situações cômicas e exageradas, o que é ser a “típica dona de casa norte-americana”, esposa e mãe de três. Porém, aqui, ela é acima do peso e classe média, num bairro onde todos são ricos e as donas de casa são magras.


#2 | MOM – CBS (Parte I da 4ªT)

Do mesmo criador de Two and a Half Men e The Big Bang Theory, Mom é estrelada pelas talentosas Anna Faris e Allison Janney, numa trama onde mãe e filha fazem parte de um grupo de Alcóolicos Anônimos.

As duas estão tentando reconstruir suas vidas ao mesmo tempo que tentam se reconectar, proporcionando momento hilários. A série ainda conta com excelentes coadjuvantes, que até tem participações da talentosa Octavia Spencer.

 

TV:Dramas


#1 | THIS IS US (Parte I da 1ªT)

Essa, sem dúvidas, foi a categoria mais difícil. Escolher um #1 foi uma decisão impossível de se fazer, por isso decidi dar o topo para duas séries. Sendo, a primeira delas, This is Us.

O drama da NBC foi um magnífica surpresa. E eu se quer ia ver a série! O primeiro episódio foi o suficiente para roubar o coração de qualquer pessoa que assistiu esta produção. E não deu outra: This is Us se tornou o maior sucesso da Fall Season 2016. Primeira temporada completa encomendada!


#1 | WESTWORLD – HBO (1ªT)

O segundo #1 fica com a incrível Westworld, da HBO. Misturando ficção científica e faroeste, o remake seriado do filme de mesmo nome é uma das melhores séries do ano!

Com um elenco talentosíssimo, como Evan Rachel Wood e Anthony Hopkins, e produção de Jonathan NolanLisa Joy e J.J. Abrams Westworld explorou a humanidade através de Inteligências Artificiais em um parque de diversão para adultos que mimetiza o Velho Oeste. Vale. a. pena.

» MENÇÕES HONROSAS (em ordem alfabética)
HOW TO GET AWAY WITH MURDER – ABC (Parte I da 3ªT) [+]; SUPERGIRL – The CW (Parte I da 2ªT) [+]; THE SHANNARA CHRONICLES – MTV (1ªT) [+].

 

Streaming


#1 | STRANGER THINGS – Netflix (1ªT)

Sinceramente. Teve outra melhor? Não. Stranger Things é, sem sombra de dúvidas, uma das melhores séries do ano. E da Netflix. Explorando os anos 80, a série de ficção científica com um Q de suspense foi um dos assuntos mais comentados do ano, com um dos elencos mais talentosos e carismáticos.

Mas com todas as coisas legais da série, quem realmente roubou a cena foi a Millie Bobby Brown como a Eleven e o seu amor por waffles, né não?


#2 | MARVEL’S DAREDEVIL – Netflix (2ªT)

A primeira parceria Marvel e Netflix foi uma bela surpresa em sua primeira temporada. O acerto resultou numa renovação para Daredevil, e na redenção dos filmes.

A segunda temporada de Demolidor trouxe os incríveis Justiceiro e Elektra, numa eletrizante e sexy temporada. A trama pode se expandir e criar vínculo para a vindoura Os Defensores e até mesmo uma série solo d’O Justiceiro. Hell’s Kitchen curtiu!

 

ESPECIAL


#1 | INVASION! – The CW (Crossover da DC)

É, amigos. Quem diria que esse dia chegaria… CW em #1…

A verdade é que Invasion! realmente vale tudo isso. O mega crossover da DC, com as séries do catálogo The CW (Supergirl, The Flash, Arrow e DC’s Legends of Tomorrow), foi uma das melhores coisas do ano. Estabeleceu uma espécie de Trindade da TV (Kara, Barry e Oliver, claro) e ainda por cima entregou o Hall da Justiça dos Superamigos como o quartel general da reunião! Melhor fanservice!


#2 | GILMORE GIRLS: A YEAR IN THE LIFE – Netflix

A lista de Melhores do Ano não poderia faltar esse revival. A temporada especial de Gilmore Girls é um evento maravilhoso proporcionado pela Netflix, dando para os fãs um pouco mais das maravilhas da fictícia Star Hollow.

Gilmore Girls: A Year in the Life tem apenas uma temporada com quatro episódios de 1h30 cada, onde cada um representa uma estação do ano, mas é o suficiente para matar saudades. Isso é tão Gilmore.

 

#MdA16 | CINEMA

Live-action


#1 | A CHEGADA – 21 Laps Entertainment + Sony Pictures

Para ser totalmente sincero, até umas duas semanas da estreia, eu não tinha visto nenhum trailer desse filme. E quando finalmente vi, apenas fui passando. Mas ainda sim sabia que a produção iria me interessar, mas não tanto assim.

A Chegada é o melhor filme de 2016. E por mim, já podem sair dando todos os prêmios para ele. Roteiro no ponto. Direção no ponto. Elenco no ponto. Desenvolvimento no ponto. Humanidade… tá a desejar. Fim.


#2 | ANIMAIS FANTÁSTICOS E ONDE HABITAM – Warner Bros. Pictures

Alguma surpresa aqui? Espero que não.

Revisitar o universo mágico de Harry Potter é sempre muito bem vindo. Mas Animais Fantásticos e Onde Habitam não leva o #2 por conta disso, mas sim por ele ser realmente bom. Funciona tanto sozinho, como quanto parte da franquia. Tem elegância e charme próprio, além de todo um novo mundo de animais fantásticos!

» MENÇÕES HONROSAS (em ordem alfabética)
CAÇA-FANTASMAS – Sony Pictures / com Melissa McCarthy e Kristin Wiig (+);  MOGLI: O MENINO LOBO – Walt Disney Studios / com Neel Sethi e Bill Murray (+); OS OITO ODIADOS – The Weinstein Company / com Samuel L. Jackson e Kurt Russell (+); ROGUE ONE: UMA HISTÓRIA STAR WARS – Disney+Lucasfilm / com Felicity Jones e Diego Luna (+).

 

#MdA16 | CINEMA

Animação


#1 | ZOOTOPIA – Walt Disney Animations

Quando a Disney quer, ela faz animações incríveis e criativas. Não é pra menos que está levando 3 dos 5 prêmios.

Zootopia é inteligente em todos os setores. O humor está na trama, nas cenas, nos nomes dos personagens. Aqui, presa e predador precisam se unir para um bem maior, e transcender qualquer diferença que eles tenham. Aliás, o filme inteiro é sobre aceitar o diferente e deixar o preconceito de lado. Uma mensagem bem certeira pros dias de hoje, né?


#2 | PROCURANDO DORY – Walt Disney Studios

Olha a Disney aqui de novo… Mas confesso que originalmente, Procurando Dory não tinha entrado no meu Melhores do Ano. Mas após um debate caloroso, vi que era justo colocar o filme aqui em segundo lugar (e tirar Cegonhas da lista).

Procurando Dory vale por si só por conta da nossa adorável Dory, numa história onde “continue a nadar” é sinônimo para “nunca desista, mesmo que esteja difícil”.

 

#MdA16 | HYPES

Música


#1 | BECKY G

O álbum de estreia de Becky G é, no momento, o álbum confirmado para lançamento em 2017 que eu estou mais esperando. O que ia ser inicialmente um álbum em inglês, acabou se tornando um álbum e espanhol. Mas isso não diminuiu a qualidade nos trabalhos de Becky.

Como já dito anteriormente no blog, a cantora é uma das mais legais, mais sonoras, mais maduras e com um som mais lapidado entre os artistas teen do momento. Vem logo #BG1!


#2 | CL

Quem também está para lançar seu primeiro álbum solo é CL. A sul-coreana (!) é uma cantora-rapper do agora-extinto grupo k-pop 2NE1, onde fez carreira por sólidos sete anos, fazendo um estrondo sucesso pelo oriente.

Agora, em parceria ao amigo Diplo (!), CL está preparando seu primeiro álbum solo, todo em inglês, para ser lançado este ano nos Estados Unidos. O carro-chefe já está entre nós. E um buzz single também.

 

TELEVISÃO


#1 | EMERALD CITY – NBC

Como um fã declarado de O Mágico de Oz, coisas relacionados a esse universo sempre me chamam atenção. Por coincidência, há dois itens Oz no Melhores de 2016!

Emerald City é uma repaginação da história infantil clássica, com um tom mais adulto e um Q de Game of Thrones (palavras deles, não minha). Aqui, Dorothy se encontra no meio de um mundo em guerra, e no centro de uma profecia que vai mudar a vida de todos. Curioso…


#2 | STAR TREK: DISCOVERY – CBS

Ainda sabemos muito pouco sobre Star Trek: Discovery, mas ainda sim o hype é gigante. A nova série busca reviver a franquia na tv, uma vez que ela está indo bem nos cinemas.

Na trama, seguiremos as aventuras da nave Discovery, cujo tenente-comandante é uma mulher. O elenco ainda vai buscar diversificar, com personagens gay, alienígenas e robôs. Serão 13 episódios e uma distribuição internacional simultânea pela Netflix!

» MENÇÕES HONROSAS (em ordem alfabética)
AMERICAN GODS – Starz (+);  BIG LITTLE LIES – HBO (+); Piloto de Krypton?.

 

CINEMA


#1 | MULHER-MARAVILHA – Warner Bros. Pictures

A Mulher-Maravilha é a minha super-personagem favorita, então não é mistério nenhum que ela esteja aqui em #1. Segundo #1 mais fácil que eu dei fazendo a lista.

No filme, que estreia em junho, seremos introduzidos à história da Amazona Diana e toda a sua trajetória até chegar n’O Mundo dos Homens durante a Primeira Guerra Mundial, e como ela enfim se tornou a super-heroína que todos nós amamos. Poder. Graça. Sabedoria. Maravilha. ✨


#2 | LIGA DA JUSTIÇA – Warner Bros. Pictures

Se a Mulher-Maravilha é a minha super favorita, não é de se estranhar que a Liga da Justiça seja o meu grupo de heróis favoritos. Consequentemente, não é de se espantar esse #2.

Liga da Justiça é o primeiro filme live-action com o super-grupo, e vai trazer à vida a parceria entre os nossos queridos Homem de Aço, Mulher-Maravilha, Batman, Aquaman, Flash e Ciborgue (e, futuramente, o Lanterna Verde). E um outro motivo para o hype: Jason Momoa como Aquaman!

 


É isso aí galera boa! Esse é todo o meu Melhores do Ano de 2016. Ficou grande, mas ficou bom! 2016 foi um ano forte para o entretenimento, e 2017 promete muito mais. Teve muita coisa boa e vai continuar tendo. Preparem os bolsos, os HDs externos, a franquia da internet, ou seja lá o que você use para consumir toda essa galera.

Para nós mortais resta esperar pelos lançamentos e continuar aproveitando tudo que 2016 deu deu de bom. E, inclusive, aqui vai uma dica: não quer ficar de fora de nada? Por aqui a gente tem o Calendário Cultural. Chega mais, assina (é de grátis!), e tenha todos os lançamentos de filmes, séries, música, eventos culturais num lugar só.

Até 2017!

Uma moeda pelos seus pensamentos 👇

Seu email não será publicado. Caixas marcadas com *