Como assistir “About Bruce”, episódio de Keeping up with the Kardashians, pode ser uma experiência muito interessante

Keeping up with the Kardashians é um dos maiores guilty pleasures do mundo do entretenimento. Milhões de pessoa no mundo assistem ao reality show, embora centenas delas não gostem de admitir. Eu sou uma dessas milhões de pessoas, mas tem alguns anos que não assisto à um episódio do programa.

Acredito, porém, que alguns de vocês não saibam do que eu esteja falando, e por isso farei uma breve resumo cronológico antes de mesclar com o assunto.

Keeping up with the Kardashians (algo como Estando em dia com as Kardashian) é um reality show que segue a vida da família Kardashian, encabeçada pela matriarca Kris Jenner, mãe de Kim(berly), Kourtney, Khloé, Robert, Kylie e Kendall (sim, tudo com K mesmo), ex-esposa do ex-atleta olímpico Bruce Jenner (daí o sobrenome) e viúva do advogado Robert Kardashian.

Alguns anos atrás, Kim Kardashian teve uma sex tape com o então namorado vazada na internet, culminando em sua super exposição e tornando-a mundialmente famosa. O evento gerou um enorme buzz para ela e sua família, dando-lhe, no final das contas, o reality.

A família Kardashian é formada por socialites, que tiraram proveito desse sucesso instantâneo e transformaram os 10 minutos de fama em 10 anos (e possivelmente muito mais). Assim, elas desenvolveram, por exemplo, carreiras na moda, seja como modelo ou como dona de sua própria boutique e linha de roupas.

Atualmente na décima temporada (e já a caminho da 11ª), o reality show acompanhou as diversas fases das Kardashian, assim como os vários momentos que rodeiam a vida da família. Um dos mais recentes referia-se à Bruce Jenner, até então bastante distantes dos holofotes.

Após terminar o seu casamento de 24 anos com Kris, o ex-atleta viu-se diversas vezes na capa das revistas devido os novos hábitos de sua vida, como o cabelo grande e as unhas pintadas. A partir disso, rumores começaram a surgir de que Bruce estava em processo de transição.

Durante muitos meses tudo não passou de histórias impressas pelos tablóides. Porém, no mês passado, Bruce decidiu contar o seu lado, com suas próprias palavras. Era verdade. O pai/padrasto do clã Kardashian estava tomando hormônios para assumir sua identidade de gênero certa, um segredo referente à algo que vinha guardado desde sua infância, até então ignorado para poder virar o homem que diziam que deveria ser.

Mas após o divórcio e diversas sessões de terapia, Bruce resolveu aceitar o seu eu verdadeiro e tomou a decisão de, aos 65 anos, declarar-se transgênero. Antes, procurou saber mais sobre o que isso significava para descobrir se era esse o caminho certo para si mesmo, então contou para sua família, e por fim, ao público. O resultado? Uma entrevista no 20/20, um programa de entrevista norte-americano semelhante ao De Frente com Gabi, onde ele declarou que “para todos os efeitos, eu sou uma mulher“. Portanto, a partir daqui, trato-a com uma.

"Para todos os efeitos, eu sou uma mulher."
“Para todos os efeitos, eu sou uma mulher.”

A família estava ciente de tudo isso, claro, assim como a produção do reality, que tomou um tempo para fazer um especial para demonstrar a reação das Kardashian em processar essa informação, mesclando um estilo muito semelhante ao documentário, com depoimentos e vídeos flashback.

E eu vim falar sobre isso. Sobre esse episódio em particular, e em como ele (o episódio) precisa não só ser levado a sério, mas ser visto pelas pessoas, por vir a torna-se uma excelente experiência, seja para entender um pouco melhor sobre a decisão de passar por uma transição de gênero, ou para ter uma noção do quão difícil esse processo é a pessoas e para envolvidos.

Embora tenha ido ao ar nos dias 17 e 18 de maio, só agora eu assisti o episódio. Por um motivo que irá ser explicado mais na frente, decidi que estava na hora de dar uma olhada nesse momento. E o que eu vi acabou me surpreendendo.

About Bruce vem para mostrar a reação da família Kardashian em relação ao segredo de Bruce. O episódio ilustra o quão foi difícil (e ainda é) para eles digerirem a decisão da ex-atleta, e que nada disso é tão simples assim, até mesmo para entender.

Em 1h30 de duração, vemos diversas conversas dela com suas filhas, com a ex-esposa e até mesmo com o genro, tentando explicar o que está acontecendo e tendo certeza que todo mundo estava na mesma página. Transitar é algo que não irá afetar somente ela, fisicamente ou psicologicamente, mas toda sua família, que sempre viram Bruce como alguém do sexo masculino.

Ser transgênero vai muito além de gostar de homem e de mulher, embora essa seja uma pergunta que certamente fica em nossas cabeças. “Mas quando você virar mulher, você vai gostar de homem? Se você gostar de mulher, isso vai torná-lo lésbica?“. E tudo bem. Isso é a ignorância falando, a falta de informação, e é apenas indo fazer uma pesquisa, perguntando para quem entende, que talvez a gente entenda melhor. Eu, particularmente, ainda crio muita confusão com toda essa questão, seja da orientação sexual (embora eu saiba que a sexualidade da pessoa não tenha nada a ver com a identificação de gênero da mesma) ou qualquer outra discussão mais profunda que esse assunto gere.

"Esse sou eu. Eu sou uma pessoa e isso é quem eu sou. Eu não estou presa no corpo de outra pessoa. É apenas quem eu sou como um ser humano."
“Eu sou eu. Eu sou uma pessoa e isso é quem eu sou. Eu não estou presa no corpo de outra pessoa. É apenas quem eu sou como um ser humano.”

Durante o especial, o telespectador fica sabendo que Bruce já se vestiu como mulher diversas vezes, durante muitos anos, como uma forma de extravasar esse lado que mantinha reprimido, guardado unicamente para si. E não só se vestiu como, mas saiu para os lugares assim, onde ninguém reconhecia a pessoa que estava por trás da maquiagem.

Para exemplificar esse ponto, Kim e Kourtney relembram um momento, 15 anos atrás, onde Kim chegou em casa e viu Bruce vestida como mulher na garagem. Sua primeira reação foi subir desesperada para o quarto de Kourt, chorando, abismada, onde contou para a irmã o que havia acabado de ver. Aquele foi o momento em que as duas ficaram sabendo do segredo dela, ainda que imaginassem não passar de uma vontade do padrasto em vestir-se de mulher.

O décimo capítulo da 10ª temporada do reality traz outros momentos significantes, como Kendall e Khloé descobrindo, pela primeira vez, que a figura paterna de ambas iria fazer a transição cirúrgica. Ou Bruce contando à Kim já ter marcado cirurgias para mudar quase tudo quanto à sua aparência.

Um dos momentos mais emotivos, no entanto, está na conversa que ela tem com Kris, cheia de ressentimentos e baques com a realidade, uma vez que a matriarca ainda encontra dificuldade em entendê-la. É assim para alguns deles. A idéia de transitar significaria que Bruce iria morrer no minuto em que se assumisse uma mulher, algo que afirma não ser verdade: “Eu estarei sempre aqui“.

"Eu não estou dizendo adeus a mim... porque este sempre fui eu."
“Eu não estou dizendo adeus a mim… porque este sempre fui eu.”

A família Kardashian é composta por seres humanos, como qualquer outra família, “tradicional” ou não. E assim como qualquer outro ser humano, ter que lidar com algo diferente do que você passou a sua vida inteira acreditando ser a verdade, é algo completamente difícil.

Diversas vezes elas e o genro Scott Disick, casado com Kourtney, afirmam estar felizes por Bruce. Diversas vezes eles dizem apoiar 100% a decisão dela em assumir a identidade de gênero feminino, ainda que não entendam completamente todo o processo ou não saibam a forma correta de se adereçar a ela, ou a qualquer outro transgênero. Deveriam usar “ele” ou “ela”? Khloé, inclusive, pede desculpas no começo do programa se acabar ofendendo alguém devido a sua falta de informação.

E isso é um dos pontos chaves de como About Bruce torna-se uma experiência interessante. Esse momento de aceitação mostra, realmente, o que é ser uma família: é você amar alguém independente do que ele ou ela é, aceitar alguém mesmo que você não entenda completamente suas razões (ou não entenda de forma alguma). É você querer que a pessoa que você ama seja feliz sendo quem ela realmente é, como ela se vê sendo feliz. Diferenças existem para nos tornar únicos no meio de 7 bilhões de seres humanos.

O especial mostra que família, acima de tudo, é sobre amar o próximo, e aceitá-lo de qualquer forma, se é assim que ele vai ser feliz. E que família é família e fim. A família Kardashian, antes, tinham uma mãe e um pai, e agora eles irão ter duas mães, e nem por isso estão se matando, vendo o fim do mundo, se acabando na promiscuidade, ou se internando em clínicas porque isso mexeu com o psicológico. Eles continuam lá, vivos, sendo uma família, e amando uns aos outros.

Até o episódio About Bruce nenhum dos integrante do clã tinha visto Bruce como mulher, usando roupas femininas. Algo que pouco tempo depois foi sanado, e poucos meses depois, no começo dessa semana mesmo, foi tornado público.

No dia 1º de junho deste ano, Bruce Jenner apresentou, publicamente, a sua nova identidade.

A ex-atleta, em uma sessão fotográfica/entrevista para a Vanity Fair norte-americana (que, se você souber ler em inglês, pode dar uma olhada aqui), tirou o vestido do armário e, usando um batom vermelho, de cabelo solto e com um decote mostrando os par de seios, anunciou para todo mundo: Me chamem Caitlyn.

A revista Paper até tentou realizar o feitio com Kim Kardashian, mas foi Caitlyn Jenner que quebrou a internet. No Twitter, o seu nome foi repetido milhares de vezes, tornando-se um dos assuntos mais falados daquele dia, quebrando, também, um recorde que antes pertencia à Barack Obama: seu perfil no Twitter foi seguido por mais de 1 milhão de pessoas em pouco mais de quatro horas (e ela tinha acabado de criá-lo!).

Aqui, damos as boas vindas à uma bela mulher de 65 anos, mãe de seis, inclusive Kendall e Kylie Jenner, madrasta de Kim, Khloé, Kourtney e Robert Kardashian, ex-esposa de Kris Jenner.

I’m so happy after such a long struggle to be living my true self. Welcome to the world Caitlyn. Can’t wait for you to get to know her/me.

— Caitlyn Jenner (@Caitlyn_Jenner) June 1, 2015

“Eu estou tão feliz em viver com o meu eu verdadeiro depois de tanta lua. Bem vinda ao mundo, Caitlyn. Mal vejo a hora para vocês conhecerem ela/eu.” — Caitlyn Jenner

Bem vinda ao mundo, Caitlyn!

"Eu não estou fazendo isso para ser interessante. Estou fazendo isso para viver."
“Eu não estou fazendo isso para ser interessante. Estou fazendo isso para viver.”

 

Pequenas observações sobre esse texto, direto do autor:

Queria, antes de tudo, agradecer à Dana Martins, do ConversaCult, que como sempre quando eu precisei, tirou um tempo para me ajudar a trazer a melhor versão do meu texto para vocês. Quando eu tive a ideia de escrever essa postagem, logo depois de assistir ao episódio, eu sabia que estaria falando sobre um assunto delicado, do qual eu tenho muito pouco conhecimento. E por esse motivo e muitos outros, recorri à Dana, que me assistiu de forma excelente.

Um dos maiores (na verdade, o maior) problemas que encontramos, foi quanto ao pronome. Deveríamos usar ele ou ela? Até que momento eu poderia usar ele e a partir de qual eu deveria usar ela? Como eu fiz um texto cronológico, para que todos pudessem entender 100% do assunto e até mesmo quem não estivesse por dentro ficasse por dentro, usar o ela antes da hora poderia tornar-se muito confuso. Por isso optei em usar o ele até o ponto em que Bruce ainda era visto pela identidade masculina. E esse seria o parágrafo de número oito.

Assim que Bruce tornou público a sua decisão em identificar-se como transgênero e assim que essa informação fosse confirmada no texto, o pronome ela tomou lugar. E isso foi no parágrafo nove. Então, a partir daí, tudo que se referisse à Bruce, seria transitado para o feminino.

Eu entendo completamente que há toda uma discussão sobre os termos corretos, e eu entendo. Mas foi uma opção que eu fiz para deixar o meu texto 100% compreensível, para os que sabiam e os que não sabiam. Utilizei o ele por oito parágrafos conscientemente, mas originalmente, utilizei-o por muito mais tempo, vindo a dar lugar ao ela só a partir do momento em que Caitlyn é apresentada no meu texto. Mas conversando com a Dana, vimos que era melhor antes disso, mas de forma que ficasse entendido para todos o porquê da mudança.

Assim como Khloé fez no começo do episódio, eu farei no final do meu texto: Peço perdão se eu ofendi alguém com o que eu escrevi, e peço desculpas se passei por cima de algo ou alguém. Não foi e não é a minha intenção. Conheço pouco do assunto, e ficaria imensamente feliz se alguém estiver disposto a me ensinar melhor sobre, para que eu não cometa os erros que eu possa ter cometido aqui.

Não apoio a transfobia, ou qualquer outra fobia que fira o sentimento do próximo, que fira a sua liberdade em ser e estar. E se algo semelhante aconteceu aqui, eu peço humildes desculpas.

Espero, no entanto, que todos tenham tido uma boa experiência, e que eu tenha despertado o interesse de pelo menos uma pessoa em ir assistir ao especial. Se isso aconteceu, aqui vai uma outra dica: assista também à entrevista de Bruce no 20/20, com Diane Sawyer. E acima de tudo: prestigiem esse grandioso momento na vida de Caitlyn e, de braços aberto, dêem as boas vindas à ela.

P.S.: About Bruce são os episódios 10 e 11 da 10ª temporada de Keeping Up with the Kardashians.

2 Pensamentos para “Como assistir “About Bruce”, episódio de Keeping up with the Kardashians, pode ser uma experiência muito interessante”

  1. Texto maravilhoso com cronologia impecável… Digo isso pq era totalmente alheia às Kardashians até assistir a um único episódio. Me interesso bastante as questões da vida e todas as formas q se configuram as relações humanas.

    1. Muito obrigado! Tomei cuidados extras pra produção deste texto, e ter alguém elogiando ela é ótimo! Mas acho que você deveria dar uma oportunidade à elas, dar uma olhada em uns episódios, é até divertido, tá? rsss. <3

Uma moeda pelos seus pensamentos 👇

Seu email não será publicado. Caixas marcadas com *