Com “Grease: Live”, FOX acerta em cheio e não decepciona

Eu sou apaixonado por musicais, e não escondo isso de ninguém. Desde os clássicos até os mais recentes, sejam eles remakes, reboots ou produções originais. Nesse meio está Grease, é claro. Lançado em 1978, o filme de quase duas horas de duração é estrelado pelos os então queridinhos da América John Travolta e Olivia Newton-John, no papel do não-tão-bad-boy Danny Zuko e da inocente Sandy Olsson, respectivamente.

Grease é um dos maiores clássicos do mundo do cinema musical, o que não foi nada estranho quando a FOX anunciou que eles estariam fazendo uma versão Live do filme, para a televisão. “Mas como assim um ‘live para a televisão‘?”, você talvez esteja pensando. É que em 2013, a NBC realizou o primeiro musical ao vivo feito para a televisão, com o The Sound of Music Live! (A Noviça Rebelde Ao Vivo!, em tradução livre), colocando Carrie Underwood no papel da noviça Maria von Trapp.

Embora a capacidade de atuação de Carrie tenha sido questionada, o Evento Televisivo, como foi auto-nomeado, foi bem recebido, resultado no surgimento de um novo segmento. Em 2014, Peter Pan Live! foi ao ar, também pela NBC, trazendo a atriz Allison Williams (Girls) no papel de Peter Pan.

Já em 2015, o canal voltou a produzir outro musical, dessa vez para The Wiz, uma releitura do clássico O Mágico de OZ, com uma história voltada para a cultura afro-americana. The Wiz Live! trouxe Shanice Williams, uma estreante, no papel de Dorothy, além de contar com um elenco formado por Queen Latifah, Mary J. Blige, Uzo Aduba, Amber Riley, Common e Ne-Yo.

É para entrar nesse novo mercado de produções televisivas que a FOX anunciou, então, que produziria seu primeiro musical ao vivo, adaptando o filme Grease. Para a produção, o canal contou com diversos produtores e roteiristas ligados à Broadway para criar um musical que mesclasse elementos tanto do filme como do próprio musical da Broadway.

Elenco de “Grease: Live” (da esquerda pra direita, do fundo pra frente): Keke Palmer (Marty), Kether Donohue (Jan), Andrew Call (Sonny), Carly Rae Jepsen (Frenchy), Carlos PenaVega (Kenickie), David Del Rio (Putzie), Jordan Fisher (Doody), Vanessa Hudgens (Rizzo), Julianne Hough (Sandy) e Aaron Tveit (Danny).

Grease: Live começou então a formar seu elenco. Julianne Hough, que até então tinha estrelado filmes como Rock of Ages e do remake Footloose e já era vencedora de duas edições do reality Dancing with the Stars, ficou com o papel de Sandy Young, enquanto Aaron Tveit, veterano da Broadway (Rent, Haispray, Wicked) e com papéis no filme Os Miseráveis e na série Graceland, ficou por conta de interpretar Danny Zuko.

O elenco ainda foi reforçado com a presença de Vanessa Hudgens (como a icônica Betty Rizzo) e da cantora Carly Rae Jepsen (como Frenchy), que já participaram de produções da Broadway. A produção ainda teve as participações especiais do apresentador e ator Mario Lopez e do cantor/ator Joe Jonas, além dos convidados musicais Jessie J, responsável pela música tema Grease (Is the World), e o grupo de R&B Boyz II Men, intérpretes dos Anjos em Beauty School Dropout. O Evento, por fim, contou com a presença de atores da versão cinematográfica: Didi Conn, que interpretou a Frenchy, e Barry Pearl, o Doody, parte dos T-Birds.

Mas para a FOX, nada disso era o suficiente. Eles queriam se distanciar ainda mais das produções já exibidas até então. E assim eles desenvolveram o musical ao vivo mais ambicioso da televisão até então: Grease: Live seria feito nos estúdios da Warner Bros., contando com a utilização de dois galpões de filmagem e o lado externo de cada um deles. Ou seja: a produção inteira ficaria alternando entre os três lugares. E como isso tudo não fosse suficiente, eles ainda contariam como a presença de uma plateia ao vivo! É pouco ou não é?

A ambição valeu a pena. Depois de vários meses de incansáveis testes e ensaios, Grease: Live atingiu e ultrapassou as expectativas em sua exibição de três horas de duração (contando os comerciais). No meio de atuações e vocais excelentes e impecáveis, a produção soube fazer um excelente uso de todos os recursos disponíveis para dar vida ao programa (uma enorme ovação de pés para a equipe técnica e, principalmente, todo mundo que ficou por conta de manusear as câmeras!), que contou com piadas brincando com a modernidade e o passado de alguns dos atores e a quebra da quarta parede (como durante o último número).

Fugindo um pouco da atuação dos personagens principais, temos Vanessa Hudgens, que entregou uma excelente performance como Betty Rizzo. Com total profissionalismo (o pai da atriz e cantora havia morrido na noite anterior), seu grande momento foi durante o número solo There Are Worse Things I Could Do, que resultou em um dos momentos mais aclamados do programa e inúmeras reviews positivas para Hudgens.

Quem também teve o seu momento foi Keke Palmer. A atriz e cantora, cujo principal papel na televisão é o de Zayday Williams em Scream Queens, ficou responsável pela personagem Marty Maraschino, que no filme é um tanto esquecível e esquecida. Keke, porém, ganhou um um espetacular número solo com Freddy, My Love, feito especialmente para a versão da Broadway e que não está no filme.

Carly Rae Jepsen, mundialmente famosa pelo hit-chiclete Call me Maybe e dona de um dos melhores álbuns de 2015, também ganhou um momento solo durante a produção. No papel da carismática Frenchy (aliás, parabéns pelo trabalho com a personagem, Carly!), a cantora deu voz à All I Need is an Angel, escrita especialmente para o Evento. A música, no entanto, não foi bem recebida pelo público, sendo colocado como um pontos mais fracos do programa.

Grease: Live teve seus altos e baixos, é claro. Os problemas técnicos com o número solo de Julianne Hough com Hopelessly Devoted to You, um sério problema no som durante um dos números da DNCE (banda de Joe Jonas) resultado em um completo silêncio durante 20s, e a desnecessária apresentação entre comerciais de Mario Lopez não foram o suficiente para estragar o Evento Televisivo. No final de sua exibição, o musical foi mais assistido desde The Sound of Music Live!: foram 12,2 milhões de telespectadores para a FOX, enquanto a NBC obteve 18,6 milhões em 2013. Pontos para o canal da raposa!

Agora uma pergunta fica no ar: agora que a FOX elevou o nível para esse tipo de produção, o que os outros canais vão fazer para serem ainda mais memoráveis?

Para assistir todas as apresentações principais de Grease: Live, clique aqui.

Uma moeda pelos seus pensamentos 👇

Seu email não será publicado. Caixas marcadas com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.