A nova temporada de Grey’s Anatomy; “Guess Who’s Coming to Dinner” e “The Sound of Silence”

Grey’s Anatomy já é uma série veterana das noites televisivas norte-americana. No ar pelo 12º ano, a história médica criada, escrita e produzida por Shonda Rhimes, passa por constantes renovações, afim de trazer novidade ao programa e manter o seu então público fiel à produção.

Em doze temporadas, já demos adeus à diversos personagens queridos, vimos personagens secundários escalarem para o elenco fixo e já recebemos vários internos e residentes no Grey Sloan Memorial Hospital. Mas depois de tantos anos, é o suficiente essas investidas na trama? Uma hora não acaba ficando repetitivo?

Acompanhando a série pelo quarto ano, já posso dizer que assistir Grey’s Anatomy é uma verdadeira montanha-russa. Você sofre, chora de alegria, grita de animação, xinga em desespero, e tudo isso em um único episódio. Há histórias para todo mundo e nenhum personagem fica sem a oportunidade de se mostrar multidimensional.

Porém, após os eventos da reta final da 11ª temporada, uma pergunta não parava de ressoar na mente das pessoas: será que a série teria fôlego para mais um ano, depois disso? A resposta foi bastante simples: Sim. Ou, pelo menos, “Nós fizemos acontecer”.

A 12ª temporada estreou com um novo ar, em vários sentidos. Meredith Grey, papel da carismática Ellen Pompeo, foi forçada a aprender a se virar sozinha. Isso mostrou não só a força de sua personagem como uma pessoa, mas também como mãe de três filhos abaixo da idade de 10 anos, e, agora, uma médica de nome. E é em momentos como esses que Meredith prova que seu gênero não é denominador de sua capacidade. Ponto este, inclusive, muito bem explorado durante o novo ano.

Por uma “coincidência do destino”, as mulheres estão retendo a maioria dos cargos mais importantes dentro do Grey+Sloan: Miranda Bailey (Chandra Wilson) é a nova Chefe de Cirurgia, Callie Torres (Sara Ramirez) continua no seu cargo como Chefe da Ortopedia, assim como Arizona Robbins (Jessica Capshaw) continua como Chefe da Pediatria, enquanto Maggie Piece (Kelly McCreary) entra como Chefe da Cardiologia, Amelia Shepherd (Caterina Scorsone) é a nova Chefe da Neurologia, e, claro, Meredith Grey estreia como a Chefe-Cirurgiã, cargo auxiliar da Chefe de Cirurgia.

Durante a primeira metade da nova temporada, a série focou sua trama em reajustes, reagrupamentos e reafirmações da grande família Grey+Sloan a parte dos habituais dramas, novos casais e a ingressão de novos internos no programa Hospital-Escola. E é no meio disso que temos os dois maiores highlights do ano, até então: os episódios Guess Who’s Coming to Dinner (12×06) e The Sound of Silence (12×09).

 

12×06: GUESS WHO’S COMING TO DINNER

No meio do jantar das irmãs, Maggie abandona seus deveres na cozinha e correr para o hospital. Enquanto isso, em April entra em cena para ajudar com o jantar em uma tentativa de evitar Jackson, e Arizona aparentemente nervosa espera para saber mais sobre a nova namorada de Callie.

Perfect Penny killed my husband*. Essa foi a frase de impacto do episódio. Quando Derek Shepherd morreu, durante o episódio 21 do décimo primeiro ano da série (11×21: “How to Save Lives“), uma das coisas que eu não conseguia parar de pensar era: Penelope “Penny” Blake (Samantha Sloyan) precisa voltar depois! Qual o motivo? Puro atrito! Drama! E quando eu elaborei a ideia na minha cabeça, imaginando ela indo trabalhar no Grey Sloan, fui chamado de louco. Mas para a minha sorte, Mãe Shondas concedeu meu pedido. E foi bem melhor do que eu poderia esperar.

Em Look Who’s Coming to Dinner, a personagem de Penny revelou-se como a namorada misteriosa de Callie, indo parar, sem saber, no jantar que Meredith Grey estava dando. Por ser a única que sabia quem Penny realmente era, a cirurgiã é a única que busca evitá-la, sendo cordial apenas quando absolutamente necessário. Mas isto não deixa de causar um imenso desconforto em Mer, fazendo-a agir estranha e distante.

Alex Karev (Justin Chambers) é o único que percebe isso. O rapaz retém agora o título de Person da Meredith, papel que era de Cristina Yang (Sandra Oh), antes da médica ir assumir o cargo de presidente em um hospital na Suíça e ir embora (10×24: “Fear (of the Unknown)“).

Em contra partida a isso, Arizona está bebendo sem parar e aos poucos se “apaixonando” por Penny, provavelmente resultado de um desconforto por conhecer a atual namorada de sua ex-mulher. Assim, Arizona não para de falar o quanto Penny é perfeita (daí o “Perfect Penny“), e como elas deveriam ficar juntas, já que as duas são tão parecidas.

É durante um desses seus desabafos que a pediatra, visivelmente alterada, pergunta onde “Penny Perfeita” está trabalhando. É quando Miranda Bailey reconhece o nome de Penny, Penelope Blake, e comenta que terá uma reunião com ela para introduzi-la no programa de internos do hospital. Aquela era a gota d’água. Instantaneamente, Meredith sai do seu gelo e questiona Penny sobre aquilo, soltando, enfim, a frase de efeito. * Penny Perfeita matou meu marido.

Silêncio absoluto.

O clímax desse episódio virou a história do avesso, causando confrontos, desconfortos, separando pessoas, unindo outras. Mas o momento afeta mais Amelia, a irmã de Derek, do que qualquer outra personagem, até mais que Meredith. A neurologista acaba se tornando uma bomba-relógio emocional, pronta para explodir a qualquer momento.

Look Who’s Coming to Dinner tornou-se o ponto mais alto da primeira parte da temporada, e gerou um dos momentos mais marcantes da série (pelo menos pra mim), além de gerar um jargão bem legal, né? rs.

“Penny Perfeita matou meu marido.”

 

12×09: THE SOUND OF SILENCE

Meredith é brutalmente atacada por um paciente e Penny é a pessoa que a descobre. Os médicos do Grey Sloan Memorial se apressam para estabilizar Meredith e permanecer ao lado dela para superar as consequências angustiantes.

Que Ellen Pompeo sofre na mão de Shonda Rhimes, todo mundo já sabe. A personagem da atriz estadunidense já enfrentou a morte diversas vezes, e de forma triunfante sobreviveu a cada encruzilhada. Também sabemos que a série não é formada apenas de um bom roteiro e performances memoráveis, e que as vezes a direção é de surpreender.

Em The Sound of Silence, temos um pouco de tudo: Meredith Grey sofrendo bastante, como de praxes, um roteiro muito bem desenvolvido, uma performance memorável e uma direção digna de prêmios. E quem ficou por conta dessa última característica técnica foi, ninguém menos, que Denzel Washington!

Já era de se imaginar que um episódio de título tão peculiar (“O Som do Silêncio“, em português) já seria marcado por algo grandiosos. Aqui, temos um começo como qualquer outro, sendo narrado por um dos personagens, enquanto cada um dos médicos trabalha normalmente em um dia qualquer da Emergência.

A trama central do episódio tem início quando o paciente que Meredith está atendendo sofre um pequeno “apagão”, e inconscientemente ataca a médica, deixando-a com severas sequelas. Rapidamente atendida por cada um dos seus amigos médicos, a cirurgiã é levada para a sala de cirurgia e seus ferimentos são tratados (pelo menos, os que podem ser tratados). Mas a surpresa do episódio não é essa, mas nos minutos que vem a seguir.

Somos, então, levados a viver sob a perspectiva de Meredith, que está temporariamente surda-muda e só consegue acompanhar o que está acontecendo ao seu redor através da linguagem corporal de seus amigos e familiares e se comunicar através de um pequeno quadro branco. É muito agonizante ver e ouvir como o silêncio não é tão silencioso assim, e que há um zumbido que deixa as coisas ainda mais em suspense e tensas (daí “O Som do Silêncio“).

O episódio consegue atingir diversos clímax, e criar um vínculo muito forte entre o telespectador e a história. Não sentimentos apenas pena e compaixão por Meredith, mas também com o seu agressor, que logo mais aparece pedindo desculpa à médica e deixando claro que, conscientemente, ele nunca faria algo como aquilo.

Ainda podemos ver mais um pouco sobre o conturbado relacionamento de Grey com Amelia Shepherd, irmã de seu falecido marido. Amelia, perturbada pela breve recaída ao alcoolismo e culpada por desejar o mal-estar de Meredith diversas vezes, tenta reatar a amizade que havia construído anteriormente com sua cunhada. Meredith, por outro lado, ainda encontra-se profundamente machucada por todos os atritos que teve com Amelia, e ainda não está pronta para perdoá-la (mas está pronta para tentar, após uma conversa forçada com Richard Webber).

Mas uma das coisas que mais ficam evidente no episódio (e que é belo de se assistir) é o vínculo fraternal/familiar que Grey e Alex Karev criaram, tornando-se um a Person do outro. Tal ponto já foi bem mostrado em Look Who’s Coming to Dinner, e vem sendo constantemente trabalhado durante toda a temporada, criando até mesmo outros tipos de atrito na narrativa.

The Sound of Silence deixa sua marca não só na temporada, como na série como um todo.

 

Ainda que Grey’s Anatomy esteja sim em uma sobre-vida, é possível perceber em seu 12º ano que a produção se reinventou e está buscando novos ares e caminhos para a história de Meredith Grey e todos ao seu redor. Agora só resta continuar ligado ao programa e ver como as coisas vão se desenvolver.

Parte do elenco atual de "Grey's Anatomy", no tapete vermelho da pós-cerimônia do "People's Choice Award",
Parte do elenco atual de “Grey’s Anatomy”, no tapete vermelho da pós-cerimônia do “People’s Choice Award”.

Já renovada para a sua 13ª temporadas, Grey’s Anatomy é exibida, nos Estados Unidos, pela ABC às quinta-feiras, conhecidas como #TGIT (sigla para “Graças a Deus é Quinta“, em português) por reunir em uma única noite todas as séries criadas/produzidas por Shonda Rhimes. No Brasil, a série é exibida pelo Canal Sony, todas as segunda-feiras 21h. Na Netflix, as primeiras 11 temporadas da série estão presentes no catálogo.

Uma moeda pelos seus pensamentos 👇

Seu email não será publicado. Caixas marcadas com *